Total de visualizações de página

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Três pastores se suicidaram nos últimos 30 dias




Teddy Parker Jr, Ed Montgomery e Isaac Hunter puseram termo à sua vida.
O que leva uma pessoa a cometer suicídio? Segundo psicólogos, pensamentos são algo bastante comum. O Centro para Controle e Prevenção de Doenças Mentais dos EUA, afirmam que 3,7% por cento da população acima dos 18 anos, pensou seriamente em suicídio no ano passado.
Embora alguns suicídios sejam resultado de um impulso, a maioria é planejada. Ainda segundo dados do Centro, metade das pessoas que fizeram um plano o levaram adiante.
Nos últimos 30 dias, três suicídios de pastores conhecidos chocou a igreja dos Estados Unidos. Em 10 de novembro, Teddy Parker Jr., 42, pastor da Igreja Batista Bibb Mount Zion, na Geórgia se matou com um tiro na cabeça.
Sua esposa o encontrou caído na entrada da garagem de sua casa num domingo. Ele já havia pregado naquela manhã e teria de pregar novamente naquele dia. Nenhum bilhete ou explicação foi deixado.
Na semana passada, o pastor Ed Montgomery, que estava de luto pela perda da esposa atirou em si mesmo na frente de sua mãe e filho. Ele e sua falecida esposa, a profetisa Jackie Montgomery, lideravam a igreja Assembleia Internacional do Evangelho Pleno, no Estado de Illinois.
Dia 10 de dezembro, suicidou-se Isaac Hunter, o ex-pastor da igreja Summit em Orlando, Florida. Até o momento, não foi divulgado como ele se matou. O caso chamou atenção da mídia secular porque o pai de Isaac, o pastor Joel Hunter tem sido chamado de “mentor espiritual” do presidente Barack Obama, com quem tem se encontrado com frequência para orações na Casa Branca.

Existem muitas estatísticas sobre como os pastores enfrentam problemas como depressão, esgotamento físico e mental. Nenhuma delas é animadora. Segundo o Instituto Schaeffer, 70% dos pastores lutam constantemente com a depressão, e 71% estão “esgotados”. Além disso, 72% dos pastores dizem que só estudam a Bíblia quando precisam preparar sermões, 80% acredita que o ministério pastoral afeta negativamente as suas famílias, e 70% dizem não ter um “amigo próximo”.
O Instituto Schaeffer também estima que 80% dos estudantes de seminário (incluindo os recém-formados) irão abandonar o ministério dentro de cinco anos. Não há dados consistentes sobre quantos cometem suicídio, mas está claro que os pastores não estão imunes a isso.
Psicólogos apontam várias razões pelas quais as pessoas cometem suicídio, de depressão a psicose, quase sempre em meio às situações estressantes da vida.  A colunista da revista Charisma, Jennifer LeClaire, que escreveu vários livros sobre batalha espiritual, comentou o caso dos três pastores.
Ela conclama as igrejas a orarem mais por seus líderes e, ao mesmo tempo que se mantém alertas sobre sintomas de depressão nos pastores, os membros deveriam estar cientes que o diabo tem preparado muitos ataques às igrejas nesse período em que os sinais da vinda de Jesus parecem estar se intensificando. (Fonte: Charisma News)

Extraído de http://eclesia.com.br/portal/tres-pastores-se-suicidaram-nos-ultimos-30-dias/



terça-feira, 17 de setembro de 2013

Texto do Pr. Sérgio de Jesus

Enquanto voces a possuem...

Sim, estou "assustado" com a quantidade de informações que recebo a respeito da crise em que estão envolvidos tantos pastores (tese).

Pesquisas informam a existencia de grande número de pastores em depressão, crises diversas, inclusive financeiras, famílias sendo expostas a constrangimentos sem limites, desistencia de ministério, filhos de pastores envolvidos com tudo o que não presta, etc e tal...

Muitos estão tão envolvidos com a "obra do Senhor" que acabam por esquecer do "Senhor da Obra", confundindo ativismo com atividade, lançando-se de forma integral ao que entendem ser "ministério pastoral", deixando em falta suas famílias, enquanto entendem "cuidar das famílias das Igrejas (famílias dos outros)".

Sábado - sim, o princípio do sábado é o do descanso, Deus sabia (e sabe) que ninguém "é de ferro", e precisa de descanso, de repouso, de encontro consigo mesmo e com a família - aliás, esta, a família, é o primeiro (deveria ser) ministério de um pastor, seu primeiro rebanho - tanto que "administre bem a sua própria casa."

Pastores, cuidem de suas vidas!

Sua mulher é gente, mulher normal, natural, com as necessidades naturais de toda mulher que existe sobre a face da Terra - aliás, necessidades ainda mais específicas pois, de certa forma, ela "divide" seu marido com as outras mulheres da Igreja, com as outras famílias, com os outros, e outros, e outros...

Pastores, cuidem de suas vidas!

Seus filhos são crianças normais, adolescentes normais, que precisam do pai tanto quanto qualquer outro adolescente e que, na realidade, possuem necessidades ainda mais específicas posto que dividem seu pai com os outros "filhos", os filhos dos outros.

Pastores, cuidem de suas vidas!

Sim, pois voce é gente, gente como qualquer "gente" que anda por aí, com sonhos, desejos, necessidades, fraquezas, frustrações, desejos, vontades...

Sim, gente que é gente mesmo que por vezes imagine não ser gente, ao menos gente comum, gente simples, que por vezes imagina ser algum tipo de "super gente"...

Pastores, tomem conta de suas vidas!

Sim, na realidade, de sua vida, quando pessoal, suas vidas, quando envolvendo aqueles com os quais voce se relaciona, interage, mui especial e especificamente aqueles que fazem parte de sua família pois, certamente esta, sua família, deve (deveria) prevalecer a despeito dos prazos ministeriais, pois ela, a família, a sua família, deve ser para sempre.

Pastores, tomem conta de sua vida!

Voce é de "carne e osso" (novidade?!?!?), precisa cuidar de sua saúde física, mental, emocional, espiritual.

Consulte seu médico regularmente, examine sua próstata...

Cuide de sua mente normalmente...

Cuide de suas emoções continuamente...

Cuide de sua vida espiritual pois esta, a vida espiritual, também precisa de alimentação sadia...

E, por conseguinte, cuidando de voce mesmo, estará cuidando de sua família.

Lembrem-se, pastores, seu "tempo de ministério" numa Igreja pode variar de poucos dias a muitos anos, quem sabe único ministério numa Igreja só mas, saiba, sua família normalmente veio antes dele, e deverá permanecer após ele, seu tempo de ministério.

Pastores, cuidem de suas vidas, enquanto voces a possuem.

Cuidem de sua esposa, enquanto a tem integralmente consigo pois, lamentavelmente, existem inúmeros casos em que ela está apenas fisicamente ao lado do marido pois, emocionalmente, já se afastou há muito tempo...

Cuide de seus filhos, aliás, algum tempo passado, alguns veículos exibiam um adesivo "seja o pai de seu filho antes que um traficante o adote!".

Pastores, cuidem de suas vidas.

O Ministério pastoral é algo excelente, produz frutos para a vida eterna - ah, a bem da verdade, ovelhas devem produzir ovelhas para a vida eterna, o pastor enquanto ministro deve alimentar ovelhas (das quais é uma) para que produzam bem e, enquanto cristão deve ser ovelha que produz ovelhas, também.

A excelencia do ministério pastoral está no fato dele ser bem exercido, com seriedade, responsabilidade, ética, cortesia, dependencia única e exclusiva de Deus, O Senhor da obra, mas sem que se perca o "controle" sobre outras áreas extremamente importantes, diria mesmo vitais, da vida, tal qual a família.

Pastores, cuidem de suas vidas!

Pr. Sérgio Jesus
Rio de Janeiro/ RJ

www.blogdotransportecarioca.blogspot.com
www.sergiosjesus.blogspot.com
www.duvidassemrespostas.blogspot.com

sexta-feira, 19 de abril de 2013

A fé de 8 em cada 10 cristãos é definida na infância

Movimento quer reforçar o conceito de Janela 4/14

Durante as últimas décadas os líderes missionários mundiais têm enfatizado o desafio da chamada “Janela 10/40”. O termo foi cunhado pelo missiólogo Luis Bush no início da década de 1990 e refere-se as pessoas que vivem entre as latitudes 10 e 40 graus do globo, que são as menos alcançadas pelo evangelho, em sua maioria muçulmanos, budistas e hindus.
Inspirado nisso, o missionário Dan Brewster, que foi posteriormente Diretor na Compassion Internacional, criou o termo “Janela 4/14″, que reflete um tipo diferente de visão: as crianças e jovens com menos de 15 anos de todo o mundo que precisam conhecer Jesus Cristo.
Estima-se que 85% das pessoas tomam a decisão de seguir a Cristo farão isso entre os 4 e os 14 anos de idade. ”As crianças ainda estão formando sua visão do mundo, ao passo que os adultos muitas vezes precisam mudá-la. Isso requer um maior investimento. Podemos ser mais estratégicos em nosso investimento”, dizem os defensores da visão.


Originalmente, Bush elencou cinco razões por que a igreja deveria investir em crianças:

Aos 5 anos: melhor época para a aprendizagem.
Aos 6 anos: Os valores morais estão sendo definidos.
Aos 9 anos: A visão de mundo é formada.
Aos 12 anos: A maturidade começa a chegar, as convicções são reforçadas.
Aos 13: A escolha por uma religião a ser seguida já existe.



“Nós podemos e devemos nos unir em torno da visão de alcançar crianças e jovens como agentes de transformação “, expressam os líderes do movimento “Iniciativa Global Janela 4/14″. Seu objetivo é “mobilizar o corpo de Cristo em todo o mundo a investir para alcançar, equipar e capacitar a geração 4/14 e maximizar o seu impacto transformacional”.

O primeiro grande encontro global para debater a Janela 4/14 foi realizado em Nova York, em setembro de 2009. Naquela ocasião, os participantes pediram o perdão de Deus por que a igreja não estava fazendo o que poderia e deveria em prol das crianças do mundo.

Anualmente é feita uma campanha de oração mundial pelas crianças nessa faixa etária que já são mais de dois bilhões de habitantes do planeta. Recentemente, foi lançada a campanha de 2013, que deverá concentrar esforços dia 14 de abril. O site oficial já tem uma versão em português www.global414day.com/pt com várias informações sobre o movimento e o dia mundial de oração.

São 10 alvos estabelecidos, sendo que os principais são:

Educação: equipar e qualificar crianças e adolescentes para que eles possam transformar suas comunidades e nação através de instituições educacionais.

Pastores: recrutar e mobilizar pastores para planejar e facilitar planos a longo prazo para fortalecer os laços da igreja na vida da geração 4/14 e obter um grande impacto na transformação dessas crianças

Fonte: http://noticias.gospelprime.com.br/

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Quase 40% dos pastores não estão preparados para morrer, indica pesquisa









Falta de planejamento pode causar grandes problemas às famílias.


Uma pesquisa realizada recentemente pela LifeWay Research indica que 37% dos pastores não possuem nenhum tipo de planejamento para suas famílias após a sua morte.

Isso significa que não deixariam nenhum testamento, seguro de vida, plano de prevenção, ou assemelhado. “Os pastores sabem que não podem controlar o que acontece com seus familiares quando eles morrem, mas falta planejamento”, acredita Warren Peek, presidente da Fundação que encomendou a pesquisa. “Um planejamento básico economiza muita dor de cabeça e garante tranquilidade para a família.”


A pesquisa foi realizada com pastores ligados à convenção batista, mas a Lifeway acredita que não é muito diferente entre as demais denominações. Scott McConnell, diretor da LifeWay Research, disse que um número significativo dos pastores simplesmente não estão preparados para morrer.

Os pastores mais jovens (até 44 anos) são os menos propensos a deixar a família preparada. Quase dois terços dos pastores pesquisados ​​concordam que seria melhor o pai deixar um testamento.

McConnell disse que deve ser uma questão preocupante o fato de muitos pastores não conversarem com sua família sobre o que pode acontecer quando eles morrerem. O objetivo da Fundação Batista do Sul, criada em 1947, é ajudar instituições e indivíduos a se planejarem para todo o tipo de situação adversa. Os resultados desta pesquisa serão usados para uma campanha visando ajudar pastores e suas famílias a planejarem melhor o futuro. Com informações Charisma News.