Total de visualizações de página

sábado, 23 de julho de 2011

Apologética Cristã - Parte 3 (Mormonismo)


Segue abaixo alguma das principais doutrinas da Igreja dos Santos do Últimos Dias, também chamada de Igreja Mórmon:

Deus – para os mórmons, Deus em sua forma é como o homem: tem um corpo sensível de carne e ossos; está em constante progresso; não foi sempre tão poderoso como é agora; Deus é o pai de todos os espírito dos homens. “O homem é o que Deus já foi, e Deus é o que homem poderá ser”.

Jesus Cristo – par eles, Jesus Cristo é o Filho de Deus e creem no seu sacrifício expiatório para a nossa salvação; creem que ele ressuscitou e voltará para julgar vivos e mortos. Entretanto, consideram Cristo apenas como o irmão mais velho dos homens; Jesus foi o primeiro espírito criado por Deus, gerado na terra como todos nós: seu pai era imortal e sua mãe mortal; era predestinado a ser o Salvador da humanidade, vivendo sem pecado na terra. Sendo que os mórmons não fazem diferença entre “gerar” e “criar” e além disso, afirmam que depois de ressurreto Jesus veio a América do Norte, pregou aos habitantes, nomeou apóstolos e deixou uma igreja organizada.

A Salvação – ensinam que vem pelas obras, principalmente pela obediência aos preceitos e às cerimônias da seita. Acreditam também que o homem terá uma segunda oportunidade, após a morte, através do batismo pelos mortos. Para eles, todos os que morreram antes de 1830 estão perdidos. Negam que o homem seja pecador e atribuem ao batismo poder também para lavar os pecados.

O Espírito Santo – para os mórmons, o Espírito Santo é mais um deus da trindade, com as mesmas características do Deus Pai. “Pai, Filho e Espírito Santo são em pessoa e forma do mesmo modo separados, como quaisquer outras pessoas o são em seu estado de mortalidade.”

O Casamento – para os mórmons, o casamento civil só é válido neste mundo; é necessário casar-se diante das autoridades mórmons e em lugares determinados, para que sejam válidos no além-túmulo. Ainda que sejam realizados segundo os preceitos mórmons, podem ou não perdurar por toda a eternidade, dependendo da afinidade ou não afinidade espiritual entre os cônjuges. A doutrina de Joseph Smith, o fundador da seita, contém dois elementos: a pluralidade de esposas e o matrimônio espiritual.

Os Anjos – os mórmons não creem nos anjos como sendo superiores aos homens. Ensinam que os homens chegarão a ser anjos, e que os anjos são seres humanos melhorados. O arcanjo Miguel, por exemplo, para eles é o mesmo que Adão. Os que não se casam dentro do mormonismo e seus rituais, ou os solteiros, tornar-se-ão anjos; os que se casam dentro do mormonismo chegam ao nível da divindade.

O Homem – o mormonismo concede ao homem um posto elevado de deus e rebaixa Deus ao nível de homem. A queda do homem é aprovada: foi uma oportunidade para ter os olhos abertos e um direito para ter descendência. Os homens estão sempre progredindo e chagam a tornar-se como Deus. Creem que, antes de nascer, o homem já procurava progredir, chegando ao ponto de não poder aprender mais alguma coisa. Neste raciocínio eles entendem que o homem deve esforçar-se, através das obras, para se aperfeiçoar. O pecado para eles é tudo que retarda ou impede esse progresso e o “diploma final” é a frase: Tu és um deus!

Os Sacerdócios – em Doutrinas e pactos, um dos ensinamentos de Joseph Smith diz o seguinte: “Mas há duas divisões ou grandes cabeças: uma é o sacerdócio de Melquisedeque, e a outra é o sacerdócio arônico ou levítico. O ofício do ancião fica subordinado ao sacerdócio de Melquisedeque. O sacerdócio de Melquisedeque detém o direito da presidência, e tem o poder e autoridade sobre todos os ofícios da Igreja, em todas as eras do mundo, para administrar em coisas espirituais”. Para eles, o sacerdócio arônico foi supostamente restaurado quando João Batista apareceu a Smith e a Oliver Cowdery, conferindo-lhes o sacerdócio arônico.

R E F U T A Ç Ã O:

1) Deus sempre foi o mesmo, nunca mudou – Ex 3:14; Sl 90:2; 102:11-27; Jr 10:10 e Tg 1:17;
2) Deus é o único e imortal – I Tm 6:16;
3) Deus é o Deus vivo, uma personalidade – Is 40:28-31; 57:15; Sl 23; At 7:55,56; 17:25-26; Ap 1:18.
4) Deus é espírito, e não carnal – Jo 1:18; 4:24; 6:46; Fl 3:3; I Tm 6:16;
5) Deus é santo e sem pecado, e não sensual, como dizem os mormos – Is 6:3; Hb 9:14; Tg 1:13; I Pe 1:16; Ap 15:4;
6) Jesus Cristo é a imagem do Deus visível; tudo foi criado por meio dEle e para Ele; Ele é antes de todas as coisas e nEle tudo subsiste; Ele tem poder para perdoar pecados – Jo 1:1-14; Col 1:16-17; Hb 1:2; I Jo 1:7-9;
7) Jesus Cristo: gerado pelo Espírito Santo que atuou em Maria – Mt 1:18; Lc 1:31-35;
8) Primogênito (Cl 1:15; Ap 1:5) significa preeminente em tudo (Sl 89:27; Ex 4:22; I Co 15:23); herdeiro de tudo (Hb 1:2); tem direito sobre tudo (Ap 5:9);
9) É nosso Senhor e Deus – Jo 20:28;
10) Somos filhos de Deus através da fé em Jesus Cristo - Jo 1:12;
11) A salvação é pela fé em Jesus Cristo – Jo 3:36; 14:6; At 4:12; Rm 5:8,9; Ef 1:7; I Pe 1:18,19;
12) Os homens morrem uma só vez e depois são julgados – II Co 6:2; Hb 9:27;
13) A Bíblia não contém uma passagem sequer que encoraje o batismo pelos mortos. Dois grupos pagãos na época de Paulo praticavam isso: os montanistas e os marcionistas. I Co 15 se refere à ressurreição de Jesus Cristo e a certeza da vida eterna com o Deus dos salvos;
14) Todos os homens serão ressuscitados: os salvos para a vida eterna e, os perdidos, para a condenação eterna – Jo 6:40; 5:29; Ap 20:3-6, 15;
15) O Espírito Santo é uma pessoa – Rm 8:27; Ef 4:30; At 16:7; Jo 14:26;
16) O Espírito Santo é igual a Deus Pai e Deus Filho – Mt 28:19; II Co 13:13;
17) Jesus Cristo aprovou o casamento monogâmico – Mt 19:5-9; Jesus considerou adultério o olhar com más intenções para uma mulher – Mt 5:28;
18) Os líderes da igreja devem ser por excelência monogâmicos – I Tm 3:2;
19) O crente deve ser esposo de uma só mulher – Ef 5:24-33; Rm 7:2,3; I Co 7:39;
20) Na eternidade não há casamento – Mt 22:29,30;
21) Os anjos não são oriundos de homens aperfeiçoados e são superiores aos homens, sendo criados antes deles – I Co 4:9; Sl 8:4,5;
22) Uma parte do ministério dos anjos é assistir a igreja – Mt 13:41; 24:31; Hb 1:14; Sl 91:11,12;
23) Dominam forças e elementos da natureza – Ap 7:1; 14:18; 16:4;
24) Assim como Satanás enganou o homem dizendo: “Como Deus sereis” (Gn. 3:5), o mormonismo continua enganando os homens através de suas doutrinas;
25) O pecado não é um freio, mas uma desobediência, um ultraje a Deus, uma declaração de se tornar independente de Deus – Gn 2:17; Jó 38:4; Sl 51; Is 14:12-14;
26) O pecado separa o homem de Deus, e somente o sacrifício de Cristo pode trazer-lhe a salvação – Rm 3:23; 5:12-19; 6:23;
27) O homem é criatura de Deus – Gn 1:26; 2:7, 18-25;
28) Mórmon algum foi separado para o sacerdócio, como foram Arão e seus filhos – Ex 28, 29. Obs: os sacerdotes eram da tribo de Levi, descendentes diretos de Arão – os mórmons alegam que vêm das tribos de Efraim e Manasses, e não praticam o sacrifício, função principal do Antigo Testamento;
29) Melquisedeque foi antes de Arão e apresentou-se como sumo sacerdote e rei (Gn 14). Foi uma figura de Jesus Cristo que é sumo sacerdote para sempre – Hb 7:21-24; 10:18-21;
30) Todos os crentes são considerados sacerdotes, no sentido espiritual – I Pe 2:9; Ap 1:4-6.

FONTE PESQUISADA:
 
- SEITAS DO NOSSO TEMPO – Volume 1 Seitas Proféticas. Tácito da Gama Leite Filho. Editora JUERP.

Nenhum comentário: