Total de visualizações de página

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

A Bíblia e sua Autoridade Final e Absoluta


Não obstante haver diferentes fontes da verdade, nós podemos afirmar que somente a Bíblia possui autoridade final e absoluta. A razão de sua absoluta autoridade deve-se ao fato dela ser a única a nos dar a verdade absoluta, uma vez que é a única inspirada por Aquele que é a fonte da verdade, Deus. Podemos até afirmar também, com base em João 17:17, que ela é a verdade.
Devemos considerar também, infelizmente, que essa não é uma convicção unânime, pois filosofias e/ou religiões como o Racionalismo, bem como também o Misticismo, o Romanismo, as Seitas, a Alta Crítica, a Neo-Ortodoxia e as outras 'Escrituras'; negam sua absoluta autoridade, sem contar também os questionamentos do porquê de outros livros sagrados não poderem ser considerados inspirados por Deus. Tratando disso, umas das razões de não serem considerados inspirados por Deus deve-se ao fato de nenhum, com exceção do Alcorão, pretender ser uma revelação de Deus. Este (Alcorão), por exemplo, basicamente mescla passagens do Antigo e do Novo Testamento escolhidas pelo fundador do Islã, Maomé, incluindo também suas ideias pessoais.
Definitivamente a Bíblia é o padrão da verdade, uma vez que orienta ao homem TUDO o que ele precisa saber; inclusive quanto à vontade de seu Criador. Por se tratar da autoridade final, nela nós julgamos todas as coisas.
O que dizer quanto à possibilidade de uma nova revelação doutrinária, ou descoberta científica, poder comprovar que a Bíblia tem erros e, portanto, que ela não pode ter autoridade sobre os homens? Ao longo dos séculos a ciência, bem como também algumas "revelações" doutrinárias, têm se esforçado na tentativa de desmistificar a Bíblia e/ou negar sua autoridade. Apesar do seu incansável esforço, jamais conseguiram comprovar erro algum nela (Bíblia), e com isso negar sua autoridade. Seus esforços têm sido até hoje em vão. É provável que baseado nisso, Paulo tenha dito: "Timóteo, guarde o que lhe foi confiado. Evite as conversas inúteis e profanas e as idéias contraditórias do que é falsamente chamado conhecimento (Grego gnósis -> em algumas traduções: ciência)"1 Timóteo 6:20 (NVI).
Vale aqui também dizer que a Bíblia não pode ser considerada como uma verdade, entre tantas outras "verdades". Não contém também apenas parte da verdade de Deus, mas sim toda a verdade, pois lembrando aqui o que já foi dito, ela é a verdade (João 17:17). Se por acaso algum escrito sagrado, como de outra religião, por exemplo, trouxer alguma verdade bíblica, ele simplesmente estará repetindo uma verdade de Deus que atualmente se encontra registrada na Bíblia. Uma vez que tal escrito jamais poderá trazer toda a verdade, não deverá ser obedecido como a Bíblia deve ser obedecida.
E por último, tratando se a Bíblia deve ou não ter autoridade SOMENTE nas questões de fé e prática, podemos primeiramente dizer que ela é a regra de fé e prática do cristão, mas também não se limita a isso. Nas questões relacionadas a fé, ela nos orienta quanto a "o que" e "quem" crer, enquanto nas relacionadas a prática nos orienta na ética segundo o padrão de Deus, guiando-nos no que é certo ou não fazer. Seria a chamada Ética Cristã, que é a ética do servo de Jesus, também chamado de cristão.
Considero que em TODAS as coisas a Bíblia pode ter sim autoridade em nossa vida, basta que deixemos que ela nos fale mais alto norteando assim o que precisamos escolher ou decidir. "Ao homem que teme ao SENHOR, ele o instruirá no caminho que deve escolher." - Salmo 25:12 (ARA). Lembrando o que já foi dito, ela (Bíblia) é o padrão pelo qual nós podemos, e devemos, julgar todas as coisas.

Nenhum comentário: