Total de visualizações de página

terça-feira, 12 de maio de 2009

Reconciliados no Senhor


Em 2006 a juventude da Primeira Igreja Batista em Olinda (Nilópolis - RJ) escolheu ‘Reconciliados no Senhor’ como tema do seu congresso. Foi um privilégio e tanto que o Senhor me deu ser pastor de juventude daquela igreja naqueles anos, o congresso foi uma benção e até hoje guardo boas lembranças! Segue abaixo o texto que escrevi para o boletim do dia primeiro de outubro.

Eu não consigo pensar em “reconciliação” sem lembrar do texto abaixo:
Dois irmãos que moravam em fazendas vizinhas, separadas apenas por um riacho, entraram certa vez em conflito. O que começara com um pequeno mal-entendido finalmente explodiu numa troca de palavras ríspidas, seguidas por semanas de total silêncio. Numa manhã, o irmão mais velho ouviu baterem à sua porta. Era um carpinteiro com uma caixa de ferramentas procurando trabalho.- Tenho trabalho para você - disse o fazendeiro. Está vendo aquela fazenda além do riacho? É do meu irmão. Quero que construa uma cerca bem alta para que eu não precise mais vê-lo. - Entendo a situação - disse o carpinteiro. Farei um trabalho que o deixará satisfeito.O fazendeiro foi até a cidade e deixou o carpinteiro trabalhando. Quando o fazendeiro retornou, seus olhos não podiam acreditar no que viam. Não havia cerca nenhuma! Em seu lugar havia uma ponte ligando um lado ao outro do riacho. Ao erguer os olhos para aponte, viu seu irmão aproximando-se da outra margem, correndo de braços abertos. Correram um na direção do outro e abraçaram-se no meio da ponte. Emocionados, viram o carpinteiro arrumando suas ferramentas para partir. - Não espere! - disse o mais velho. Fique conosco mais alguns dias.Tenho muitos outros projetos para você.E o carpinteiro respondeu: - Adoraria ficar, mas tenho muitas outras pontes para construir. Dessa história extraímos duas lições: A primeira é que podemos ser pessoas que constroem barreiras ou pontes. Particularmente, prefiro construir pontes, pois elas significam reconciliação. As barreiras simbolizam a resistência e o impedimento de meu próprio desenvolvimento espiritual. A segunda lição é que, mesmo sendo contratados para construir barreiras, podemos ter uma atitude como a do carpinteiro e construir pontes em vez de fortalezas. As pessoas no fundo do coração querem isso de nós como servos do Senhor. Irmãos, vamos construir pontes, tantas quantas pudermos construir, certamente necessitaremos utilizá-las para melhorar os níveis de qualidade e relacionamento em nossa família, em nossa igreja e na sociedade. Deus deu o exemplo enviando seu Filho Jesus Cristo para através da sua morte nos reconciliar consigo, porém nos deu o “...ministério da reconciliação” – II Co 5:18b. Isso que eu entendo sobre “construir pontes”.

Nenhum comentário: